quinta-feira, junho 02, 2011

Depilação Definitiva com a Fio Laser - Última Parte


Há contra-indicações ao tratamento?
O tratamento laser deve ser aplicado, em regra geral, em peles sãs que não tenham sido agredidas recentemente, por isso está contra-indicado para peles que tenham sido submetidas a peelings químicos, ácidos glicólicos, retinóico, resurfacing com laser de erbio ou de CO2 nos últimos 6 meses. Também está contra-indicado para pessoas que estejam tomando isotretinoína (Roacutan®, Tigason®, Neotigason®), ou algum tipo de medicamento fotosensibilizante (que reaja com a luz), assim como neoplasias malignas, insuficiência renal, portadores de marcapassos ou outros dispositivos que possam apresentar alterações devido a alterações do campo eletro- magnético. Portadores de Lúpus, pessoas com fotossensibilidade ou problemas de cicatrização, bem como peles com feridas, acnes ativa, psoríases ativa ou inflamada também não devem ser tratadas com laser. Por último, se a área a depilar foi tratada com pinças ou cera não se deve aplicar o laser, já que não há pelo que transmita energia, o qual estaria contra-indicado, mas não por razões médicas senão por razões de efetividade.

Quais os riscos da Depilação a Laser?
Ainda que raros, os riscos do tratamento existem. Pode raramente ocorrer queimaduras superficiais com formação de cascas ou leves crostas ou a formação de bolhas, especialmente quando a pele esta bronzeada, que ao se desprenderem podem produzir hipopigmentação ou zonas claras e hiperpigmentação ou zonas que fiquem escurecidas. Pode-se dizer que todos os efeitos são reversíveis e geralmente em um período não superior a 06 meses a pele fica normalizada.
A depilação a laser pode causar câncer?
Não. Segundo a NR nº 15 do Ministerio do Trabalho e Emprego, o laser é considerado uma radiação não-ionizante. A depilação a laser não é oncogênica.

Todos os tratamentos a laser são iguais?
Não. Existem várias tecnologias no mercado com princípios diferentes, procedimentos, custos e resultados também muito diferentes.

Qual a diferença há entre laser de diodo e luz pulsada?
O laser de diodo utiliza como meio ativo um semicondutor denominado Diodo e é um instrumento preciso que foi exaustivamente testado. O espectro de luz emitido pelo laser Diodo é aproximadamente 810 nm, que é altamente absorvido pela melanina da pele e dos folículos pilosos. Tem sido considerado por alguns autores como o padrão ouro para depilação a laser, sendo considerado o mais efetivo atualmente no mercado. Pode ser indicado para todos os tipos de peles.

A luz pulsada é como uma simples lâmpada de flash (como as dos projetores), de mais alta potência e que se acende e se apaga em períodos de tempo muito curtos. (Por isso se chama pulsada). A luz branca por definição, que é a que emite a lâmpada de flash, está composta de uma banda de comprimentos de onda. Não há um só comprimento como no laser, mas uma faixa, por exemplo, entre 200 e 1000 nm. Como o que realmente interessa é a utilizar o comprimento de onda em que a energia da luz é absorvida pela melanina, coloca-se um filtro de cor que absorve (sempre pela zona baixa) uma parte desta luz. Por isso, o resultado final é de uma banda de luz que varia de 400 ou 600 nm até 1000 nm. É uma luz menos seletiva e consequentemente a energia se divide entre todos os comprimentos de onda da banda. A energia que corresponderia aos comprimentos de onda que são absorvidos pela melanina é pouca e baixa, motivo pelo qual os resultados são escassos. Por outro lado, não se pode aumentar essa energia, já que isso implicaria incrementar a energia em comprimentos de onda não desejados, que seria absorvida por outros elementos da pele e aquecer muito a lâmpada que o emite e que o faz em todas as direções.
Em geral não é bem indicada em peles escuras e pode ser necessário utilizar um numero maior de sessões. Pode-se concluir que a luz pulsada nunca será tão efetiva quanto o laser devido a uma limitação física e óptica das lâmpadas e dos filtros.

Qual a diferença entre laser de diodo e de neodimio?
Um laser de Neodimio Yag tem um comprimento de onda de 1.064 nanômetros. Neste comprimento de onda, a água começa a absorver luz e transformá-la em calor. Isto é um problema relevante, já que em vez de aquecer a melanina, que é o objetivo, é a água que se eleva de temperatura produzindo um duplo efeito:
• Mais incômodo e doloroso, já que grande parte da epiderme está composta por água.
• As células germinativas responsáveis pelo crescimento do pelo recebem uma parcela menor da energia do laser, já que parte dela foi absorvida por moléculas de água da epiderme.
Os parâmetros considerados ótimos pela comunidade científica internacional apontam para as características do laser de diodo de alta potência como aquele que melhor se enquadra nesses requisitos, e como o mais efetivo para a depilação, superando outras tecnologias bastante difundidas como NdYag, Alexandrita, e luz pulsada, sendo que esta última não é propriamente uma tecnologia de tratamento a laser, mas de luz comum.

Um comentário:

meaina disse...

When the laser is chosen for special treatment, there is a danger of a sudden temporary pain, redness of skin color and swelling.depilação definitiva To avoid this, some lasers are equipped with cooling devices to reduce the risk.

Postar um comentário